a Joomla! - Anos 2000 e 2010

Panorama Histórico

O rosto da Missão do século XXI apresenta-nos novos desafio bem surpreendentes e com características bem distintas. Viver na primeira década do século XXI é adentrar-se em uma sociedade que passa por rápidas mudanças e transformações sociais. A face da sociedade desta época possui algumas características bem distintas. Nascemos e vivemos no tempo determinado por Deus para com as habilidades de Deus, vencer todos os desafios que este século nos trará.
 
Oswald Smith viveu de 1889 a 1986, e nesta 26ª edição em 1969, registrou o seu desejo de viver até o ano 2000 para ver os desafios do século XXI. Oswald Smith partiu quatorze anos de poder ver o raiar do ano 2000, mas a conquista desta geração permanece com a igreja. A maneira como Oswald Smith via o mundo mudou muito, mas infelizmente, poderemos ver com uma ótica bem apurada, que mudou para pior. A paixão evangelística e missionária que motivaram e impulsionaram a vida deste profeta para as nações, precisa ser o desafio da igreja do século XXI.
 
“Estamos em pleno século XX. Forças sinistras estão em ação. Religiões falsas multiplicam-se por toda parte. O nacionalismo é um sentimento que varre a terra. O comunismo, a mais poderosa arma que já foi forjada pela engenhosidade satânica, ameaça varrer do mapa o cristianismo. A energia atômica mantém a civilização à sua mercê.
 
Como eu gostaria de viver até o ano 2000, a fim de que pudesse escrever a respeito dele, mas isso é impossível. Contudo, se Cristo demorar-se tanto, milhões haverão de chegar lá em vida. Eu não poderei fazê-lo. Acredito que os próximos cinquenta anos serão os mais momentosos da história da humanidade. Acontecimentos capazes de abalar o mundo inteiro já estão sendo moldados, e suas sombras chegam até nós.
 
Movimentos colossais têm sido inaugurados; alguns ten¬dentes para o bem, e outros para o mal. A raça humana enfrenta a possibilidade de sua destruição. Juízos catastróficos são inevitáveis. A revolução social, com todos os seus horrores, soergue novamente sua cabeça peluda. A Cortina de Ferro oculta uma escravidão pior do que a morte. A criação toda geme. Por todo o mundo já se sentem as dores de parto de uma nova era. Uma vez mais se ouve "... um estrondo de marcha pelas copas das amoreiras..." (II Samuel 5:24). "...o dia do Senhor vem, já está próximo" (Joel 2:1). Não sou um evangelista profissional, mas tenho desenvolvido a obra evangelística em minha vida, e sei que a única esperança de nossos dias é uma nova manifestação do poder de Deus. Tenho visitado países onde tenho visto esse poder em operação, e confio que podemos desfrutar aqui daquilo que tenho contemplado ali. O evangelismo é a ordem do dia, a necessidade do momento... É necessário que evangelizemos, ou nos fossilizaremos.”
 
Novas tendências têm marcado o novo rosto de missões transculturais. Dentre eles, a diversas catástrofes e calamidades que tem assolado as nações nos últimos anos, gritam aos nossos ouvidos. Novos ministérios foram iniciados para atender esta necessidade, tais como a AME (Missão Esperança), a AJUDA – Organização Humanitária Internacional (da Missão Transcultural Etnia), e a Rede SOS global.
 
Outro fator de destaque que tem estado em foco nos anos 2007 e 2008 nas reuniões da AMTB é a necessidade de parcerias estratégicas entre as agências missionárias para alcançar as nações. Isto conduziu à criação de um novo departamento na AMTB, o departamento de Alianças Estratégicas, tendo o diretor executivo Paulo Feniman.
 
Relações Internacionais & Missões: Desafios e Oportunidades Globais, faz uma interpretação dos acontecimentos mundiais e das relações diplomáticas entre países, focando a) as aberturas e oportunidades neles existentes para a interação com sociedade internacional; b) as oportunidades de ministério que estas aberturas constituem para a Igreja, organizações e missionários brasileiros; c) as tendências, o panorama mundial das RI e "gestão do futuro" no contexto missiológico dos campos brancos prontos para a ceifa no mundo contemporâneo. No simpósio do V CBM fizemos uma  introdução das cinco eras de missões, destacando o rosto da missão do século XXI, focando especialmente as mudanças do mundo pós guerra-fria com a queda do muro de Berlim em dezembro de 1999 e os acontecimentos globais desde o ano 2000. Os países apresentam oportunidades desafiadoras e novas tendências que norteiam o trabalho missionário transcultural. Foram abordados cinco ministérios relevantes para o mundo contemporâneo.
  1. Intercessão pela Política Mundial. Ministérios específicos enfatizam o chamado da Igreja para “orar nos portais globais”, ou seja, orar onde acontecem as decisões globais. Esse ministério acompanha as reuniões Summit do G8 (composto por Estados Unidos, Rússia, França, Alemanha, Itália, Canadá, reino Unido e Japão), e também pelo G20 (composto por 20 países).
  2. A Rota Econômica. Seguir o corredor econômico mundial é adentrar-se numa rota estratégica e em portas abertas a nível global. Essa tendência é evidenciada nos países que compõem o BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e que apresentam grandes oportunidades de negócios e relações entre países. Outro desafio é olhar as oportunidades que concentram no relacionamento dos blocos econômicos regionais, tais como o MERCOSUL, ASEAN (Ásia), AU (União Africana) e outros.
  3. No Pátio da Educação. Atuar na esfera da educação é uma excelente oportunidade! Em países considerados fechados, as pessoas estão tendo mais acesso à educação. Incluindo as mulheres. De forma que conviver com as pessoas locais como estudante ou mesmo como professores é um caminho estratégico. Relações diplomáticas e missões do Brasil com outros países oferecem vagas para professores atuarem em outros países, devidamente enviadas pelo governo brasileiro.
  4. Esportes e Entretenimento. Este é um ministério chave entre as nações. O Brasil é conhecido como o país do futebol, e oportunidades profissionais inéditas são oferecidas na área de esportes em muitos países. Levando também em conta a grande interação com as pessoas na prática do esporte amador, praticamente, em todas as comunidades.
  5. Intercultural. Outra grande tendência do século é o aspecto “intercultural”. Obreiros transculturais que concentram seus esforços promovendo o desenvolvimento da comunidade local, oferecendo serviços necessários para a comunidade, encontrará apoio local e governamental e o envolvimento de toda a comunidade.
  6. Novas perspectivas sobre “Relações Internacionais & Missões: Desafios e Oportunidades Globais” conduziram à um website específico de Relações Internacionais e Missões que será lançado em janeiro de 2009 e estará disponível em: http://www.relacoesinternacionais.org
    (Texto de Maria Leonardo)

Organizações Missionárias Fundadas

ANO  Agência
2000  AEMI - Associaçào Evangélica Missionária Indígena
2000  AGEMIW - Agência Missionária wesleyana
2000  Além-Mar Missões Transculturais
2000  AME - Agência de Missões Evangélicas
2000  Associação Médico Odontológica Radical a Todas as Nações
2000  SEMIPA  - Semeadores Missionários com paixão pelas Almas
2000  Siloé - Ministério de Missões
2001  AME - Associação Missão Esperança
2001  AMI Agencia de Missões Internacional
2001  CAMI - Centro de Assistência Missionária Internacional
2001  Missão Siloé
2001  Projeto Amigos da África
2002  Missão Semear  (Vitória - ES)
2003  Interserve Brasil/CEM
2003  Missão Servos
2004  SIM - Brasil
2005  AJUDA - Organização Humanitária Internacional